BLOG

inicial blogbusca pela categoria "Pilates
Blog

50 anos à frente do seu tempo!

Postado em 27 de outubro de 2013 às 10:24

Joseph Pilates acreditava que ele estava 50 anos à frente do seu tempo. Ele acreditava que um dia o mundo viria a conhecer, apreciar e abraçar o seu método.

Texto de Joy Puleo, Gerente de Programa de Educação da Balanced Body

Aqui estamos, apenas 50 anos desde sua morte, e sua visão está sendo realizada. Agora vivemos em um mundo onde o nome de Pilates é sinônimo de saúde e fitness de alta qualidade.

Onde clientes de todo o mundo procuram nossos estúdios porque um médico instruiu-os, ou porque viram o estúdio referenciado no "Sex in the City", ou porque uma amiga aparece tonificada e saudável apenas algumas semanas após o parto.


Seja o que for que os traz para você, é o trabalho que Joseph Pilates criou que os mantêm ligados, entusiasmados e sentindo-se fortes e saudáveis.

Nossa comunidade de Pilates é tão diversa, dedicada e apaixonada como Joe foi. Muitos de nós vamos para o trabalho por causa de como ele nos faz sentir... e cada dia vemos os "Milagres de Pilates" que ocorrem em nossos estúdios. Nossos clientes podem entrar pedindo por um abdômen liso, mas saem com as ferramentas para se manterem saudáveis e fortes não apenas hoje, mas para seus muitos amanhãs.

O que pensaria Joe sobre onde nossa comunidade está hoje? O que ele pensaria sobre os desenvolvimentos mais recentes para seus equipamentos? De como seus desenhos originais agora foram combinados com uma compreensão atual da biomecânica humana e construídos com materiais e tecnologia que ele não podia ter sonhado. Como alguém que sempre foi se ajustando com seu equipamento, acho que ele ficaria encantado.
E o que você acha que sua reação seria quando dissesse que milhares de pessoas de todo o mundo agora ganha a vida ensinando o método dele? Cairia o queixo? O que acharia dos programas de educação atual que levam seu nome?

Fonte: Site PhysioPilates                                           Imagem: Internet

tags:

Pilates para ciclistas

Postado em 27 de outubro de 2013 às 10:09

Não é novidade que o Pilates é um dos exercícios mais indicados como complemento para quem é esportista.

Os ciclistas que incluem o método no treinamento de rotina melhoram não só a força, mas a postura, o equilíbrio e a agilidade na execução dos movimentos. Uma sessão de Pilates duas a três vezes por semana é muito eficaz no desempenho desse atleta.

Segundo a fisioterapeuta esportiva RosanaVaz, grande parte dos ciclistas competidores sentem dores musculares e lombares depois do treino ou competição. Depois de algumas semanas no Pilates, pacientes com este quadro melhoram consideravelmente as dores e passam a corrigir certas falhas.

A técnica aumenta a força das pernas e na parte superior do corpo, o que ajuda o ciclista a manter a postura correta e ter maior impulsão nas pedaladas. "Outra vantagem é o alongamento dos flexores do quadril e do quadríceps, o que reduz as dores lombares e nas costas", afirma Rosana.

O exercício melhora o equilíbrio do ciclista, contribuindo para minimizar as quedas frequentes e promovendo uma maior consciência corporal. As técnicas de respiração do Pilates também ajudam no aumento da resistência do atleta. Utilizando exercícios específicos, é possível acelerar a recuperação das pernas cansadas, trabalhando a circulação.

"O Pilates também corrige os desequilíbrios musculares, muito comuns no ciclismo. Esse esporte trabalha principalmente o quadríceps, por isso é importante fortalecer os músculos da coxa, para estabilizar as pernas e manter as articulações do joelho e quadril alinhadas", explica a fisioterapeuta.
A técnica só é contra-indicada no caso de lesões associadas, quadros de dor ou edema e ciclistas não atletas.

Fonte: Site Physiopilates                                                     Imagem: Internet

tags:

Os ossos e a prevenção da osteoporose!

Postado em 01 de junho de 2013 às 09:52

Você sabia que o Pilates pode ajudar a prevenir e reduzir os efeitos da osteoporose?

Artigo: Selma França

Os ossos são elementos importantes da estrutura do corpo. Através das suas articulações realizam o movimento, ajudam na manutenção do equilíbrio e servem como proteção para os órgãos internos. Durante as diferentes fases de desenvolvimento, os ossos sofrem remodelagem, tornando-se mais fortes ou mais fracos a depender de muitos fatores, sendo os mais preponderantes a prática de exercícios físicos e hábitos alimentares. No processo de senescência (envelhecimento), as modificações são mais impactantes devido à diminuição gradativa dos processos fisiológicos, causando impacto na qualidade de vida. Algumas alterações hormonais importantes levam à fraqueza do sistema ósseo, prejuízos nas atividades funcionais, provocando no indivíduo restrições na capacidade de se mover e atuar na sociedade.

"Durante as diferentes fases de desenvolvimento, os ossos sofrem remodelagem, tornando-se mais fortes ou mais fracos a depender de muitos fatores, sendo os mais preponderantes a prática de exercícios físicos e hábitos alimentares".

A osteoporose é uma das graves doenças que afetam os ossos. Com o aumento da expectativa de vida, algumas doenças passaram a ganhar destaque. Quanto maior a sobrevida do indivíduo, maior é o risco de desenvolver osteoporose. Esta é uma doença sistêmica, silenciosa, crônica e gradativa que atinge áreas do esqueleto, sendo caracterizada pela perda da massa óssea e de sua densidade mineral, atingindo o indivíduo quando há falta do hormônio estrógeno ou no processo de envelhecimento, pela diminuição de hormônios que ajudam na reabsorção óssea. A microestrutura do osso fica corrompida, a quantidade e a variedade de proteínas não colágenas são modificadas, aumentando o risco de fratura. Os ossos ficam fracos, opacos e quebradiços. A depender do local onde a fratura ocorra, pode comprometer em graus diversos a postura e o funcionamento de órgãos e estruturas vitais ou o aparelho locomotor. Apenas profissionais de saúde podem diagnosticar se cada caso trata-se realmente de osteoporose ou de uma osteopenia que é, em muitos casos - mas não necessariamente -, uma precursora da osteoporose. Classificam-se como osteopenia casos em que a massa óssea é de 10% a 25% menor que a considerada normal. Mais do que isso, classifica-se como osteoporose.

Segundo os autores Moreira Freire e Branco de Aragão, as fraturas por osteoporose ocorrem sob pequena quantidade de estresse sobre o osso, que normalmente não ocasionaria fraturas em pessoas sem a doença. As fraturas típicas ocorrem na coluna vertebral, quadril e punho. O colapso da vértebra (fratura por compressão) ocasiona dor crônica, postura curvada e diminuição na função pulmonar (capacidade de respirar), enquanto as fraturas dos ossos longos dificultam a mobilidade e podem requerer cirurgia. Ainda que a osteoporose possa ocorrer em homens, ela é substancialmente prevalente em mulheres depois da menopausa.

A diminuição do estrógeno, hormônio que previne a decréscimo de cálcio do osso e melhora a sua absorção pelos intestinos pode causar perda óssea, aumentando, assim, o risco de fraturas. O cálcio é um mineral essencial na formação de ossos e dentes. Prevenir a redução da massa óssea requer um equilíbrio entre perda e reposição de cálcio.

A perda de massa óssea é uma consequência inevitável do processo de envelhecimento. No indivíduo com osteoporose a perda é tão importante que a massa óssea cai abaixo do limiar para fraturas, principalmente em determinados locais, como quadril, antebraço e vértebras. Mais comuns em mulheres que em homens, as fraturas vertebrais tendem a ocorrer duas décadas após a menopausa. Alguns autores sugerem serem fatores de risco bastante relevantes, a menarca tardia e a menopausa precoce.

As características das fraturas osteoporótica vertebrais são: "fraturas em forma de cunha", quando a vértebra assume a forma de cunha; "Vértebra de peixe" (bicôncava), quando a parte posterior do corpo vertebral é preservada e a anterior, colapsada; "fratura por esmagamento", quando as vértebras sofrem fortes compressões, sendo geralmente provocadas por quedas.

As fraturas nas vértebras costumam provocar dor, nem sempre localizada e que piora com o movimento e a respiração. Apesar da relevância das fraturas, a coluna torácica é a área mais acometida da coluna, mas as que causam mais problemas em idosos, são as do quadril.

Atualmente, muito se tem estudado sobre a associação, direta ou indireta, entre a elevada taxa de mortalidade e a fratura por fragilidade óssea. A relação com maior mortalidade é mais evidente após a fratura de quadril do que após fraturas vertebrais ou periféricas. Em contrapartida, ainda não está suficientemente esclarecido se o aumento do número de mortes é decorrente da fratura propriamente dita ou se está relacionada com outras variáveis, como idade avançada, presença de doenças concomitantes ou complicações clínicas e cirúrgicas após o evento.

"... ainda não está suficientemente esclarecido se o aumento do número de mortes é decorrente da fratura propriamente dita ou se está relacionada com outras variáveis, como idade avançada, presença de doenças concomitantes ou complicações clínicas e cirúrgicas após o evento".

A falta de diagnóstico depois do evento constitui um problema importante em vários países do mundo, até mesmo no Brasil. Mesmo após um evento significativo, como a fratura de quadril, somente 13,9% dos pacientes receberam o diagnóstico de osteoporose e 11,6% iniciaram algum tratamento no momento da alta hospitalar.

É preciso estar atento aos processos que levam à instalação da doença no corpo, a fim de preveni-la. Os tecidos do nosso corpo, incluindo o tecido ósseo, funcionam durante toda a vida através do mecanismo de renovação celular. As células chamadas osteoclastos se encarregam de remover células velhas, promovendo assim a reabsorção óssea e as células chamadas osteoblastos têm a função de colocar células novas na área. Esse processo acontece de uma forma mais intensa até aproximadamente os 30 anos de idade e, a partir desta faixa etária passa a haver uma lentidão no processo. O pico de massa óssea é atingido por volta dos 35 anos. Após esta idade, as mulheres perdem aproximadamente 1% de massa óssea por ano e podem perder até 6% por ano durante os primeiros cinco anos após a menopausa. Os homens apenas começam a perder massa óssea, cerca de 0,3% por ano, por volta dos 50 anos. Na osteoporose senil, os osteoblastos não preenchem as cavidades criadas pelos osteoclastos da maneira correta, o que deixa o osso fragilizado e propício a fraturas. Fonte: ISaúde Bahia

Fonte: Site Physiopilates                                                                Imagem: Internet

tags:

Pilates na prevenção e tratamento da osteoporose!

Postado em 11 de maio de 2012 às 07:26

Cada vez mais comum, a osteoporose não é privilégio somente da 3ª idade. A doença, que tem como principais fatores de risco o sedentarismo, o tabagismo, o histórico familiar, a baixa ingestão de cálcio e a retirada cirúrgica de ovários sem reposição hormonal, está cada vez mais comum entre as faixas etárias de 30 a 35 anos.

De um modo geral, a osteoporose é caracterizada pela perda da massa óssea e a diminuição da resistência mecânica dos ossos por diversas causas, sendo as principais relacionadas aos desequilíbrios hormonais. As regiões do corpo mais atingidas são os quadris, os punhos e a porção anterior dos corpos vertebrais, que sofrem desgastes com simples inclinações repetidas do tronco para frente, gerando fraturas espontâneas.

A prática de exercício físico preserva a massa óssea, tanto por ação direta do impacto sobre o esqueleto, quanto por ação indireta, pela tração realizada nos músculos através de exercícios de força.

“Os resultados da prática do Pilates em pacientes com osteoporose podem ser observados em pouco tempo. Durante as primeiras sessões já é possível notar uma melhora da força muscular, aumento do relaxamento e da sensação de bem-estar”, explica a fisioterapeuta Valquiria Santiago. Além dos benefícios proporcionados pela técnica, no caso da osteoporose, o Pilates auxilia também no tratamento da depressão, estresse, dores na coluna, incontinência urinária, hérnia de disco e algumas doenças neurológicas, como o Parkinson.

De acordo com a fisioterapeuta alguns benefícios proporcionados pelo Pilates em pessoas com osteoporose são:

- Aumento da flexibilidade;

- Melhora na função articular;

- Melhora no alinhamento postural;

- Ganho de equilíbrio para prevenir lesões ou evitar padrões de movimentos incorretos;

- Oxigenação dos músculos e qualidade de sua função;

- Incorporação de consciência corporal, diminuindo os fatores de risco que podem levar a lesões;

- Diminuição da ansiedade e do nervosismo provocados pelo estresse e pelas tensões do dia a dia.

Fonte: Site Revista Pilates

tags:

Pilates complementa atividades de atletas!

Postado em 02 de março de 2012 às 23:25

Todos já devem ter ouvido falar no Pilates como uma atividade que proporciona alongamento e fortalecimento muscular, hoje praticado por pessoas de várias faixas etárias e estilos de vida. A novidade, porém, é que o Pilates tem sido procurado por atletas de alto desempenho, que buscam na atividade um complemento para os treinos.

Texto: Marina Morena

O médico oftalmologista Lúcio Moraes, 41 anos, é um dos atletas adeptos à prática. Lúcio diz que sempre praticou esportes na vida. Passou pelo jiu-jitsu, canoagem, futebol e, atualmente, joga tênis. Há dez anos começou a se preparar melhor fisicamente para os esports com o pilates. "Hoje faço pilates três vezes por semana e pratico tênis duas vezes, porque sei da importância da preparação, e o pilates é essencial", explica.

Preparatório
O médico relata que experimentou o maior benefício do pilates nas últimas férias, no mês de janeiro deste ano. Como pretendia esquiar no Canadá, o médico começou um preparatório de exercícios específicos três meses antes de viajar, o que resultou em um ótimo rendimento no esporte, mesmo sem nunca o ter praticado antes.

"Eu comecei a fazer exercícios de pilates que me dariam maior equilíbrio, consciência corporal e força nas regiões mais usadas pelo corpo no esqui, e o resultado foi surpreendente. Esquiei sem problema nenhum, não tive lesões e tudo deu muito certo. Fiquei impressionado porque aqui não tem neve, então eu não tinha costume com o esporte. Sei que me saí bem por causa do preparatório que o pilates me proporcionou".

O novo perfil de alunos faz parte de um grupo seleto de pessoas que descobriu na modalidade a chance de alcançar resultados melhores nas competições e um menor risco de lesões na hora dos treinos. É certo que o Pilates fortalece os músculos fracos, alonga os músculos encurtados e aumenta a mobilidade das articulações. Além disso, a força e o alongamento são trabalhados de forma que o corpo fica mais forte, saudável e elegante.

"Isso tudo se deve ao maior equilíbrio, melhora na respiração e postura, além do fortalecimento que o Pilates proporciona ao atleta, já que o exercício pode ser considerado uma terapia globalista, que trabalha vários músculos e níveis de atividades de uma só vez", explica a professora de Pilates, Maria Paula Lopes.

Ela relata que os exercícios direcionados para atletas é um pouco diferenciado do que ela aplica em pessoas que não praticam esportes. "Em um atleta a gente direciona e localiza mais a técnica, dependendo do tipo de atividade que a pessoa pratica".

Resultados
O militar reformado Irineu da Silva Mattos, 80, também comprova que o Pilates facilita a vida do atleta. Competidor da modalidade Master de Natação, Irineu compete pelo clube Icaraí, de Niterói (RJ), e pratica Pilates desde 2007. "Desde que comecei com os treinos, meu rendimento foi muito maior. O Pilates complementa a musculação e os próprios treinos de natação", relata o atleta.

Irineu explica que resolveu se dedicar também ao Pilates como atividade física porque soube que a modalidade trabalhava cerca de 500 exercícios de uma só vez. Segundo ele, o exercício recupera o corpo e dá maior vitalidade na hora das competições. "Uma vez estava resfriado e não queria treinar. Como tinha uma competição na véspera, resolvi fazer apenas o pilates, o que foi essencial. Na hora meu corpo se recuperou e eu consegui nadar normalmente", finaliza Mattos.

Fonte: Site PhysioPilates                                                                             Imagem: Internet

tags:

Pilates: corpo malhado sem musculação!

Postado em 10 de fevereiro de 2012 às 13:25

De uma barriga mais definida ao autocontrole, passando por músculos firmes, fortes e alongados, ótima postura, articulações mais saudáveis, melhor capacidade de respiração e maior tolerância ao stress. Ufa! Não é à toa que o pilates conquista novas adeptas a cada dia.

Movimentos elegantes

Respire e solte todo o ar, sentindo seu abdômen encolher ao máximo — como se o umbigo fosse colar nas costas — e as costelas fechando em direção ao centro. Sua barriga fica retinha, a cintura afina. Pena que dure só até a próxima respiração! Você pode, porém, preservar esse momento mágico para sempre ao praticar o pilates, um método de condicionamento físico criado na Alemanha na década de 20. Seja nos aparelhos inventados por Joseph Pilates — estruturas de madeira e metal, com molas e tiras de couro — como nos movimentos feitos no chão — técnica conhecida por mat pilates —, os músculos são trabalhados duplamente, ou seja, são tonificados e alongados ao mesmo tempo, mas dentro do limite de cada praticante. 

“Os corpos treinados pelo método são fortes, alongados, flexíveis e saudáveis. A postura melhora muito e os movimentos se tornam elegantes”, garante Alice Becker, instrutora e proprietária do Physio Pilates, estúdio em Salvador (BA). “Lembro de uma ex-aluna que dizia que tinha a sensação de estar percorrendo um salão de baile com roupas fluidas, ainda que estivesse atravessando a faixa de pedestre”, conta Alice. 

Para quem não gosta do ambiente agitado das academias, pilates é ideal, pois permite um corpo malhado sem puxar ferro. Esse é o caso de Tatiana Tiepolo, que pratica no estúdio Physio Sport Pilates, em São Paulo (SP). “Além de músculos mais firmes e bem desenhados, melhorei a postura”, diz ela.

Silhueta nova em três meses

O relato de Tatiana poderia ser multiplicado por 1200, número de alunos de Teresa Camarão, proprietária de dez estúdios no Rio de Janeiro, cinco deles abertos no ano passado. “A técnica dá resultados rápidos e duradouros, por isso está despertando tanto interesse”, diz Teresa. Segundo ela, em dez seções já dá para sentir diferença na flexibilidade. Em três meses, os músculos estão mais definidos e o condicionamento físico tem uma melhora significativa. “A mulher passa a conhecer seu corpo. Percebe seus limites, mas consegue vencê-los, desenvolvendo o autocontrole”, conta. 

Tanto em aparelhos como no solo, o pilates é uma ginástica livre de impacto e que respeita a individualidade. “Os aparelhos servem para posicionar as alunas iniciantes e, ao mesmo tempo, para desafiar as experientes. Em grau avançado, por exemplo, a ginástica pode ser feita em um trapézio acoplado a um dos aparelhos”, diz Vany Giannini, fisioterapeuta e sócia-proprietária do Physio Sport Pilates. No solo, os exercícios exigem ainda mais da praticante, que tem de controlar sozinha o seu corpo. “O trabalho, porém, também pode ser facilitado com o uso de equipamentos como bolas e elásticos”, fala Sandra Tófoli, professora de pilates da academia Fórmula, de São Paulo. 

Por dar ênfase à correção postural e ao bom alinhamento das articulações, o método é indicado também para o tratamento de lesões na coluna, joelhos e ombros, entre outras. Ana Paula Browne rompeu os ligamentos dos joelhos ao acidentar-se na Austrália. De volta ao Brasil, passou a se tratar com uma fisioterapeuta especializada na técnica. “Para minha surpresa, não tive que operar os joelhos”, relata Ana Paula, que é aluna do Centro de Ginástica Postural Angélica (CGPA), em São Paulo.

Abdômen forte comanda o corpo

A base do método é o centro de força, composto principalmente pelos músculos do abdômen, região lombar, quadris e glúteos. O centro de força permanece contraído, dando sustentação para movimentação solta, fluida, das pernas e braços. “Temos que controlar o centro de força durante toda a aula, pois é ele que mantém estável a coluna vertebral, evitando lesões”, explica Alexandre Von Ajs, coordenador de pilates da Velox e professor da Estação do Corpo, academias no Rio de Janeiro (RJ). 

“Para fazer os movimentos, a aluna tem que estar atenta, concentrada. Por isso, dizemos que a mente também está presente na ginástica”, diz Cristina Abrami, instrutora e sócia-proprietária do CGPA. “Com o treinamento, o cérebro registra as informações e a postura exigida para os exercícios é assimilada automaticamente no dia-a-dia. A barriga fica lisinha e a cintura afinada para o resto da vida”, garante a professora, lembrando também que o posicionamento correto da coluna protege de lesões e dores. Mulheres que já malham estão procurando o método para trabalhar o abdômen, como é caso de Valeska Praxedes, atriz e modelo paulistana de 29 anos que tem aulas de mat pilates na Fórmula. “Fiquei impressionada, até minha cintura afinou”, conta. 

Prática mexe com as emoções 
Segundo Pilates, que estudou técnicas orientais como a ioga para desenvolver seu método, o centro de força controla não só os movimentos do corpo como as emoções. “A adepta fica mais centrada, nos dois sentidos, físico e mental”, diz Cristina Abrami. Outro fator que interfere no bem-estar é o controle da respiração, fundamental para manter a postura durante os exercícios. “A respiração adequada também ajuda a combater o stress, pois acalma a mente e controla a agitação”, fala Vany Giannini. “Fiquei mais tranqüila e equilibrada, não me irrito com qualquer coisa”, confirma Luciana Fortes, 28 anos, funcionária pública que treina no Physio Sport Pilates, em São Paulo.

(...) Matéria completa Revista Boa Forma.

 

Fonte: Site Revista Boa Forma                             Imagem: Internet.

tags:

Ganhe postura e condicionamento com Pilates!

Postado em 20 de janeiro de 2012 às 09:59

Exercício ajuda quem tem dores lombares e articulares.

 O Pilates se mantêm com grande visibilidade entre os adeptos das atividades físicas em função dos bons resultados que apresenta. Indicado até para aqueles que sintam dores lombar e articulares, a modalidade pode ser feita sem riscos de lesão na medida em que trabalha a postura, a respiração e o condicionamento físico em geral com total segurança. “Um dos principais atrativos do Pilates é que ele pode ser praticado por qualquer pessoa. É indicado a partir dos oito anos de idade,   desde que a pessoa consiga ter o controle sobre a respiração e saiba contar, pois estas são habilidades necessárias para os exercícios”, explica Beatriz Amora, fisioterapeuta especialista em Pilates.

E engana-se quem pensa que o Pilates só pode ser feito de forma lenta. Tradicionalmente isto é uma realidade criada por Joseph H. Pilates para auxiliar o condicionamento físico do exército alemão nos idos de 1918. Mas o método foi, ao longo dos anos sendo adaptado por professores de educação física e fisioterapeutas, de modo que hoje é possível realizar circuitos com objetivos mais aeróbicos, capazes de ajudar na perda de peso.

 Grau de dificuldade

 Beatriz Amora Fisioterapeuta diz que, o Pilates existe em três diferentes graus de dificuldade: iniciante, intermediário e avançado. “Lógico que há exercícios que poucos alunos conseguem fazer, pois estes exigem um equilíbrio maior e também mais força muscular, e isso só se alcança com algum tempo de treinamento capaz de deixar o corpo do aluno mais estruturado para tarefas mais desafiadoras. O Pilates possui etapas e você nunca vai poder montar uma aula avançada para um aluno iniciante”, coloca a fisioterapeuta.

Em função destes ‘degraus’ de aprendizagem, a modalidade oferece uma segunda característica bem própria: as aulas são totalmente individualizadas. Desta forma, diferente do que se observa em academias de musculação nas quais um único instrutor dá suporte a vários alunos, durante uma aula de Pilates dificilmente será visto mais de três ou quatro pessoas sob a orientação de um único professor. “Em casos nos quais a turma esteja bem adiantada, é possível colocar no máximo quatro alunos por horário. Isto acontece porque o professor precisa estar sempre acompanhando diretamente os seus alunos, tanto que é comum ver que algumas turmas passam anos com um mesmo professor”, acrescenta Beatriz.

Outra coisa que chama a atenção nesta atividade são os aparelhos utilizados durante as aulas. “Os equipamentos foram criados pelo  próprio Joseph Pilates, especialmente para a modalidade. São aparelhos anatômicos, robustos e resistentes que suportam uma carga de peso muito alta. Como são fabricados de madeira maciça e aço inox, pode-se dizer que são feitos para a vida inteira”, finaliza.

Fonte: Site Revista Pilates                                                     

tags:

Pilates em 12 perguntas!

Postado em 08 de dezembro de 2011 às 15:52

Tudo o que Madonna faz vira moda. Com o pilates, isso levou mais de dez anos para acontecer. Na década de 1990, quando Madonna começou a mostrar sua incrível flexibilidade nos palcos, o público perguntava qual era a técnica que garantia à cantora movimentos precisos e coluna impecavelmente reta, mesmo nas posições mais bizarras, como de cabeça para baixo e com as pernas abertas em 180 graus. “É uma mistura de ioga e pilates”, dizia ela.

Os benefícios prometidos pela ioga já eram conhecidos. A curiosidade girava em torno do método criado pelo alemão Joseph Pilates no começo do século passado. Baseado no movimento dos animais e de crianças durante suas brincadeiras, Pilates – ou Papa Joe, como ficou conhecido nos Estados Unidos – criou uma série de exercícios com o objetivo de melhorar a própria saúde. Pilates sofreu de raquitismo e asma na infância. Com isso, chegou à idade adulta com um corpo franzino. Aos 32 anos, depois de adotar o método em si mesmo, passou a exibir um corpo de fazer inveja aos atletas mais bem treinados e a disseminar a prática entre amigos e conhecidos. A técnica envolve o fortalecimento da musculatura do abdome, que ele chamava de power house (ou casa de força, na tradução do inglês). A definição dos músculos, principalmente do abdome, a melhora na postura e o aumento da flexibilidade são alguns dos benefícios propagados pelos praticantes.

Estima-se que existam mais de 8 milhões de alunos de pilates nos Estados Unidos, de acordo com os dados da Sporting Goods Manufacturers Association, entidade que reúne os maiores fabricantes de artigos esportivos. No Brasil, são 8 mil estúdios de pilates e, por ano, surgem mais de 200 novas casas. Os números são baseados nas vendas dos maiores fabricantes de aparelhos no país.

A atriz Regiane Alves, de 33 anos, é adepta dos exercícios há cinco anos. Ela conheceu o método durante uma aula de ioga, quando o professor chamou a atenção para sua postura excessivamente curvada. Animada com os resultados, não parou mais. “Melhorou tudo no meu corpo: a postura, meu alongamento e meus músculos, que ficaram mais definidos.” 

Os alunos de pilates exibem uma série de benefícios objetivos da prática. Mas entre os argumentos dos entusiastas há alguns mitos. Há quem diga que o pilates evita crises de hérnia e faz crescer. O fortalecimento da musculatura do abdome pode diminuir o número de crises de hérnia, dependendo do local da lesão. Mas não há como garantir o fim de crises em qualquer pessoa, tampouco o fim de todas as crises. A reeducação postural pode ajudar alguém a recuperar centímetros que já tinha e estavam escondidos sob uma postura curva. Mas ele não adiciona tamanho à estrutura óssea. Entenda essas e outras questões sobre o pilates. 

1- Qual a diferença entre pilates e ioga?
A ioga é uma prática originada na Índia há mais de 5 mil anos. O pilates é uma técnica ocidental de cerca de 100 anos. Conhecida como um estilo de vida que prega a harmonia entre corpo, mente e espírito, a ioga tem um apelo metafísico. “Os exercícios são uma forma de elevação espiritual”, afirma Shakti Leal, coordenadora do espaço Nirvana no Rio. No pilates, equilíbrio e concentração são questões objetivas. Os movimentos de cada exercício são tão complexos, que é quase impossível executá-los sem uma boa dose de concentração. 

2- Pilates é feito no chão ou em aparelhos?
Nos dois. Nos aparelhos, as aulas geralmente são individuais. O aluno tem total supervisão do professor. As molas permitem que cada aparelho se adapte ao corpo e à postura do aluno, sem forçar demais nem machucar. Por esses dois motivos, as aulas com equipamentos são mais indicadas a quem tem algum tipo de lesão.

No chão, é possível fazer aulas em grupos maiores, embora os estúdios normalmente evitem lotar suas sessões. Nas academias, esse número pode chegar a 30 praticantes. Apesar de envolver movimentos livres e sem o auxílio de aparelhos, as aulas no chão, afirmam profissionais da área, não são mais difíceis nem exigem mais esforço. Os exercícios de solo e com aparelhos produzem os mesmos resultados.

3- O pilates tem os mesmos efeitos da musculação?
 Não. Os exercícios do pilates fortalecem, mas não fazem os músculos crescer tanto quanto a musculação. O pilates trabalha mais com a repetição de movimentos e menos com o aumento das cargas. Além disso, as molas usadas nos aparelhos oferecem um tipo de exercício diferente dos executados na musculação. “As molas produzem resistência constante e movimentos precisos”, diz Isabel Sacco, professora de biomecânica da Universidade de São Paulo (USP). “Na musculação, a eficiência do movimento depende do ângulo correto de cada exercício.” Outra diferença é que os exercícios de pilates feitos no chão trabalham vários grupos musculares ao mesmo tempo, enquanto na musculação cada exercício estimula, normalmente, um músculo por vez.

“O pilates me deu um corpo mais definido e menos inchado”, afirma o empresário Sérgio Sacchi, de 44 anos. Depois de descobrir três hérnias de disco, consequência de anos de exercícios sem alongamento adequado, tinha parado com as atividades físicas. Sacchi conheceu o pilates há dez anos. “Foi a alternativa que encontrei para me exercitar, depois dos problemas na coluna.”

4- Pilates cura hérnia e outros problemas na coluna? 
Não existe cura para hérnia ou outras lesões, mas há meios de atenuá-las e reduzir as dores. Médicos e fisioterapeutas indicam pilates como uma boa opção para quem tem lesões na coluna por causa dos exercícios de baixo impacto, do fortalecimento dos músculos abdominais e da correção de problemas posturais. “Indico a prática a meus pacientes, assim como recomendo a reeducação postural (RPG) e a fisioterapia tradicional”, afirma Jamil Natour, professor de reumatologia da Unifesp.

A designer Karina Arruda, de 42 anos, recorreu ao pilates para cuidar da postura. Depois de sua primeira gravidez, há três anos, Karina começou a sentir dores e descobriu uma hérnia de disco. Por indicação médica, procurou as aulas de pilates e, depois de seis meses, parou com os analgésicos. “Não tomo mais nada”, diz. A dona do estúdio onde Karina treina, Luciana Araújo, diz que muitos alunos chegam por indicação médica.

5- Pilates evita lesões futuras?
Não. Para os especialistas, não há como comprovar que o fortalecimento da musculatura do abdome proteja a coluna contra novas lesões. “É uma besteira”, afirma Daniel Feldman, reumatologista da Unifesp. “O fortalecimento desses músculos não evita lesões.”  
  
6- Pilates emagrece?

Não necessariamente. Apesar de alguns exercícios exigirem um grande esforço físico, o objetivo do método não é a perda de peso. Para quem quer emagrecer, atividades aeróbicas são a melhor opção.  

7- Pilates faz crescer?
Não. O pilates não acrescenta centímetros mágicos à estrutura óssea de seus praticantes. Mas melhora a postura. Por causa da postura mais ereta, temos a impressão de que crescemos, porque andamos menos curvados. 

8- Quais são as variações do pilates?
É um assunto controverso entre os adeptos do método. Ao longo dos anos, os exercícios criados por Pilates foram incorporando novidades e se espalharam pelo mundo. Nas academias, o método ganhou adaptações, como swim pilates (na piscina), jumpilates (que alterna três minutos de pulos com um de pilates), iogilates (pilates e meditação). Os mais puristas afirmam que as variações da técnica criada por Papa Joe não são pilates. Assim, bolas e exercícios na água seriam uma deturpação da prática. “Estão usando o nome de um gênio da forma errada”, afirma Romana Kryzanowska, americana que se considera sucessora de Joseph Pilates. Mas Pilates nunca registrou seu método e Romana não foi sua única discípula.  
 
9- Pilates tem algum perigo? 

Assim como acontece com qualquer exercício, o pilates mal executado pode agravar as lesões de quem procura o método com fins terapêuticos ou mesmo causar novas lesões. “Cuidado com professores que defendam uma coluna completamente reta ou que peçam para o aluno ‘encaixar o quadril’, posição em que o quadril se move para a frente e a curvatura lombar tende a ficar mais reta”, afirma Isabel Sacco. Isabel explica que, ao tentar reverter a curvatura normal da coluna, diminuímos sua capacidade de resistir a cargas e a deixamos mais vulnerável a lesões.  

10- Como saber se a academia de seu bairro é séria?
A melhor maneira de se precaver na hora de escolher o estúdio ou a academia é verificar quem são os professores e quantas horas de aulas eles têm em sua formação. As principais instituições que emitem certificados no Brasil são reconhecidas pela Pilates Method Aliance, aliança internacional do método, e exigem um mínimo de 450 horas de aula. Esse número pode ser alterado para 360 horas de aula em cursos de especialização, como previsto pelo MEC. Os dois modelos são confiáveis. “Fuja de professores que tenham um workshop de fim de semana como único treinamento para dar aulas de pilates”, afirma Alice Becker, presidente da Aliança Brasileira de Pilates. 

11- Pilates pode ser praticado por qualquer pessoa? 
Não. Crianças abaixo de 6 anos ainda não têm estrutura óssea, dos músculos e ligamentos completamente formados. Pessoas com osteoporose grave ou com lesões graves na coluna também não devem praticar. 

12- Existe algum limite para o número de aulas? 
Assim como na musculação, especialistas recomendam que os músculos descansem por 48 horas. Como no pilates a musculatura do core é sempre exercitada, o ideal é alternar os dias. Isso dá uma média de três vezes por semana.


Fonte: Site Revista Época                                                                    Imagem: Internet

tags:

Pilates proporciona benefícios à mente!

Postado em 24 de novembro de 2011 às 12:34

 Veja de que maneira o pilates melhora o condicionamento mental, além do físico, e torna os praticantes aptos a sustentar uma nova postura de vida. 

Se você não faz parte do time de fãs das academias de ginástica, mas frequenta alguma, mesmo a contragosto, para manter a forma - ou se recusa a encarar aulas dos mais variados estilos e o uso de pesinhos -, está na hora de experimentar o método de condicionamento físico e mental criado pelo alemão Joseph Pilates (1880-1967). Apesar da aparente suavidade dos movimentos, os exercícios de pilates fazem com que o corpo não só se alongue e se fortifique de forma integrada e individualizada, como também convida os praticantes a experimentar uma nova maneira de se relacionar com o mundo.

Por privilegiar exercícios de baixo impacto e poucas repetições, a técnica proporciona resultado eficaz com menor desgaste dos músculos e das articulações. "O praticante passa a utilizar sua energia sem desperdiçá-la naquilo de que não precisa. Esse domínio, originado na mente, resulta em vigor e bem-estar", diz Inelia Garcia, proprietária do The Pilates Studio Brasil, rede espalhada pelo país, e ex-aluna de Romana Kryzanowska, uma das principais discípulas de Jospeh Pilates e grande divulgadora de seu legado.

Ministrado com precisão cirúrgica, o método se molda a pessoas de todas as faixas etárias, inclusive as que sofrem de dores crônicas ou de problemas ósseos e musculares. Nesse caso, o trabalho é conduzido por um fisioterapeuta. Uma vez curada a lesão, o professor de educação física, devidamente certificado, assume o comando. A essência da mensagem de Pilates é: independentemente da situação em que esteja, você pode e deve se mexer.

Muito além do colchonete

Grande parte da beleza dessa corrente, que a cada dia conquista mais adeptos, reside no fato de que o aprendizado extrapola as paredes do estúdio. O aluno não demora a perceber que está diante não apenas de um conjunto de movimentos, mas de uma filosofia de vida calcada na crença de que somos responsáveis por nossa saúde física e mental. "Quando nos apoderamos da habilidade inata de controlar nosso corpo, evoluímos também no campo emocional. É libertador e estimulante descobrir que somos capazes de assegurar o próprio bem-estar", destaca Brooke Siler, instrutora americana, também formada sob a tutela de Romana Kryzanowska, e autora de Desafios do Corpo Pilates, da Summus Editorial.

Ganha-se, portanto, um jato de autoestima. E mais. "O pilates incita a força de vontade, o desejo, o impulso de realizar coisas e a convicção de que você pode alcançar seus objetivos", sublinha Inelia Garcia, proprietária do The Pilates Studio Brasil. Não se trata de mágica. Esse, digamos, efeito colateral comportamental é apenas reflexo da cumplicidade entre mente, corpo e emoções. "O controle da respiração ajuda a aplacar a ansiedade. Assim, a atividade é uma ferramenta de estabilidade emocional e de autoconhecimento", ela afirma. Além disso, a modalidade também serve de escudo contra o estresse e a fadiga.

Os seis princípios do método pilates 

As diretrizes abaixo devem nortear cada movimento numa aula de pilates...

Concentração: a fim de trabalhar o físico, é necessário estar presente com a mente - é ela que comanda a ação. Por isso, é fundamental prestar atenção nos movimentos executados e observar como os músculos respondem.

Controle: o domínio muscular preconizado pelo método consiste na ausência de movimentos descuidados, automáticos ou casuais. Nenhum exercício no pilates é feito simplesmente por fazer. Cada movimento tem uma função.

Centro de força: temos um grande grupo de músculos no centro - abdômen, lombar, quadris e glúteos. Pilates chamou esse conjunto de "casa de força". Toda a energia necessária à realização dos exercícios se inicia nela e flui para as extremidades.

Fluidez: no método Pilates não existem movimentos estáticos, isolados, porque o corpo não funciona naturalmente dessa maneira. Pelo contrário, eles são fluidos, como um longo passo ou uma valsa.

Precisão: a concentração em fazer um movimento preciso e perfeito em vez de muitos sem vontade é condição essencial do pilates. Deixar de fora qualquer detalhe é abandonar o valor intrínseco do exercício.

Respiração: a respiração completa renova a circulação do ar, oxigena o sangue e ainda ajuda no controle dos movimentos durante os exercícios, assim como no dia a dia.

 
tags:

Pilates e ansiedade!

Postado em 29 de outubro de 2011 às 00:14

Acordar cedo, deixar os filhos na escola e ir trabalhar. No horário de almoço, apenas um quarto é reservado para a refeição. O restante é separado para resolver os assuntos mais urgentes, que não podem esperar até o fim do expediente. Depois mais trabalho que geralmente se torna estressante devido à sobrecarga de responsabilidades. De volta em casa, uma leve pausa para o jantar e, como se não bastasse, os problemas domésticos para solucionar, sem falar daqueles que levam trabalho pra casa.

É uma rotina dessas que muitos profissionais precisam enfrentar todos os dias e o que menos fazem é cuidar da própria saúde. A consequência é pouca ou quase nenhuma qualidade de vida. Muitas pessoas já sofrem com as chamadas “doenças da modernidade”. A ansiedade, por exemplo, é um motivo suficiente para se recorrer a um bom médico. E não estranhe se entre um remédio e outro, ele recomendar a prática do Pilates.

A ansiedade é uma sensação ou sentimento decorrente da excessiva excitação do Sistema Nervoso Central consequente à interpretação de uma situação de perigo. Por vezes a pessoa que sofre de ansiedade, sente uma necessidade de estar sempre à fazer coisas de forma a fugir do seu estado emocional para que se sinta melhor.

Desta forma a pessoa que passa muito tempo num estado de ansiedade acaba interrompendo a respiração como uma forma de defesa contra o medo de uma punição ou situação de perigo, ocasionando um bloqueio no músculo diafragmático. Um diafragma inibido, que não funciona bem, pode causar diversos distúrbios no nosso organismo, como: dores de cabeça, problemas gastrointestinais, dores nas costas e até mesmo um aumento na ansiedade.

Uma respiração otimizada, mobiliza a coluna vertebral na região do tórax, que provoca a mobilização do sistema nervoso autônomo que, dentre outras tantas atividades é responsável pela digestão, reprodução, sono e relaxamento.

O Pilates aperfeiçoa a rerspiração e potencializa a capacidade respiratória. Em todos os exercícios a respiração é enfatizada como instrumento para atingir a qualidade na execução dos movimentos. O contrário também acontece, pois os movimentos adequados com a região do tronco estimulam e ampliam a entrada e saída de ar nos pulmões. O Pilates exerce muitos benefícios em pessoas ansiosas por modificar a capacidade respiratória. Se o indivíduo ansioso é capaz de aprender a expirar, podemos até certo ponto, modificar sua condição energética diafragmática, onde a ansiedade está contida.

O Pilates mobiliza a musculatura dessa região e na medida em que respiração é solicitada durante a execução dos exercícios, tornando-se um ato voluntário e consciente. Somente a prática irá validar a relevância do trabalho interdisciplinar entre o instrutor de Pilates e psicólogo corporal no indivíduo ansioso.

 

Fonte: Site Revista Pilates

tags:

Rua Deputado Clóvis Motta, 3090 - Candelária, Natal - RN
CEP 59064-430 - Fone: (84) 3206-1058